AOC e Ted Cruz criticam Apple e Blizzard por concessões na China

[ad_1]

  

Em duas cartas, um grupo bipartidário de legisladores criticou fortemente a Apple e a Blizzard por suas recentes ações na China.

O primeiro dirigido ao CEO da Apple, Tim Cook, expressa "forte preocupação" com a decisão da empresa de remover um aplicativo usado pelos manifestantes de Hong Kong da App Store. O aplicativo, chamado HKMap, rastreava a presença da polícia e era usado por ativistas pró-democracia, mas foi removido no início deste mês depois que a Apple alegou que estava sendo usado para atividades criminosas. Os desenvolvedores do aplicativo disseram que não havia evidências disso, e a Apple foi criticada pela mudança.

"Casos como esses suscitam uma preocupação real sobre se a Apple e outras grandes empresas americanas se curvarão às crescentes demandas chinesas em vez de perderem o acesso a um bilhão de consumidores chineses", diz a carta.

A carta foi assinada pelo senador Ron Wyden (D-OR), senador Tom Cotton (R-AR), senador Marco Rubio (R-FL), senador Ted Cruz (R-TX), representante. Alexandria Ocasio-Cortez (D-NY), deputado Mike Gallagher (R-WI) e deputado Mal Malowsowski (D-NJ).

A segunda carta assinada por alguns dos mesmos legisladores, foi enviada ao CEO da Activision Blizzard, Robert Kotick, e critica similarmente a decisão da empresa de proibir uma concorrência Hearthstone jogador que manifestou apoio aos manifestantes de Hong Kong. A carta diz que "a decisão decepcionante poderia ter um efeito assustador sobre os jogadores que procuram usar sua plataforma para promover direitos humanos e liberdades básicas".

As cartas sugerem que a questão da censura chinesa é uma questão que democratas e republicanos estão prontos para apoiar, em detrimento de empresas que procuram operar no país.

"Você tem a oportunidade de reverter o curso", escreveram os legisladores a Kotick. "Pedimos que você aceite."

[ad_2]

Source link



Os comentários estão desativados.