Como estamos apoiando esforços de pesquisa para ajudar no combate à COVID-19

Organizações sem fins lucrativos, universidades e outras instituições acadêmicas em todo o mundo estão recorrendo à inteligência artificial (IA) e análise de dados para nos ajudar a entender melhor a COVID-19 e seu impacto nas comunidades – especialmente nas populações vulneráveis e profissionais de saúde. Para apoiar esse trabalho, o Google.org está doando mais de US $ 8,5 milhões a 31 organizações em todo o mundo para ajudar no combate à COVID-19. 

Esse financiamento é parte do compromisso do Google.org de dedicar 100 milhões de dólares à luta contra a COVID-19 e se concentra em quatro áreas principais onde novas informações e ações são necessárias para ajudar a mitigar os efeitos da pandemia.

Monitoramento e previsão da propagação de doenças

Compreender a disseminação da COVID-19 é fundamental para informar as decisões de saúde pública e diminuir seu impacto nas comunidades. Estamos apoiando o desenvolvimento de plataformas de dados para ajudar a projetos que exploram o uso de diversos conjuntos de dados públicos para prever com mais precisão a propagação do vírus.

Melhorar a equidade na saúde e minimizar os efeitos secundários da pandemia

A COVID-19 teve um efeito desproporcional nas populações vulneráveis. Para abordar as disparidades de saúde e gerar resultados equitativos, estamos apoiando os esforços para mapear os fatores sociais e ambientais do impacto da COVID-19, como raça, etnia, gênero e status socioeconômico. Além de aprender mais sobre os efeitos imediatos da COVID-19 na saúde, também estamos apoiando trabalhos que buscam entender melhor e reduzir os efeitos indiretos de longo prazo do vírus – que vão desde desafios com a saúde mental até atrasos nos cuidados preventivos .

Avançando na ciência de rastreamento de contato e detecção ambiental

O rastreamento de contato é uma ferramenta valiosa para retardar a propagação de doenças. Autoridades de saúde pública em todo o mundo estão usando ferramentas digitais para ajudar no rastreamento de contatos. O Google.org está apoiando projetos que avançam a ciência nesta área importante, incluindo pesquisas que investigam como melhorar as avaliações de risco de exposição preservando a privacidade e a segurança. Também apoiamos pesquisas relacionadas para entender como a COVID-19 pode se espalhar em espaços públicos, como sistemas de transporte público.

Apoiando profissionais de saúde

Seja trabalhando para atender à crescente demanda por cuidados intensivos de pacientes, seja se adaptando a protocolos que mudam rapidamente ou cuidar do próprio bem-estar físico e mental, os profissionais de saúde enfrentam desafios complexos nas linhas de frente. Estamos apoiando organizações que se concentram em ajudar os profissionais de saúde a adotar rapidamente novos protocolos, fornecer cuidados mais eficientes e atender melhor às populações vulneráveis.

Juntas, essas organizações estão ajudando a tornar a resposta da comunidade à pandemia mais avançada e inclusiva, e temos orgulho de apoiar esses esforços. Você pode encontrar informações sobre as organizações que o Google.org está apoiando na lista abaixo:

Monitoramento e previsão da propagação de doenças

  • Carnegie Mellon University *: informando as autoridades de saúde pública com mapas interativos que exibem dados da COVID-19 em tempo real de fontes como pesquisas na web e outros dados disponíveis ao público.
  • Keio University: investigando a confiabilidade de pesquisas em grande escala para ajudar a modelar a disseminação da COVID-19.
  • University College London: modelando a prevalência da COVID-19 e entendendo seu impacto usando dados de tendências de pesquisa anônimos agregados e disponíveis publicamente.
  • Boston Children’s Hospital, Oxford University, Northeastern University*: construção de uma plataforma para oferecer suporte a dados de saúde pública precisos e confiáveis ​​para pesquisadores, funcionários de saúde pública e cidadãos.
  • Tel Aviv University: desenvolvendo modelos de simulação usando dados sintéticos para investigar a disseminação do COVID-19 em Israel.
  • Kampala International University, Stanford University, Leiden University, GO FAIR: implementação de padrões de compartilhamento de dados e plataformas para modelagem de doenças para instituições em Uganda, Etiópia, Nigéria, Quênia, Tunísia e Zimbábue.

Melhorar a equidade na saúde e minimizar os efeitos secundários da pandemia

  • Morehouse School of Medicine’s Satcher Health Leadership Institute*: desenvolvendo um Mapa da COVID-19 em Equidade em Saúde interativo e voltado para o público dos Estados Unidos.
  • Florida A&M University, Shaw University: examinando os determinantes sociais estruturais da saúde e o impacto desproporcional da COVID-19 em comunidades negras na Flórida e na Carolina do Norte.
  • University of North Carolina, Vanderbilt University: investigando os mecanismos moleculares subjacentes à suscetibilidade ao SARS-CoV-2 e à variabilidade nos resultados da COVID-19 em populações hispânicas / latinas.
  • Beth Israel Deaconess Medical Center: quantificando o impacto da COVID-19 nos cuidados de saúde não diretamente associados ao vírus, como adiamento de exames preventivos ou de rotina.
  • Georgia Institute of Technology: investigando oportunidades para populações vulneráveis ​​em busca de informações relacionadas à COVID-19.
  • Cornell Tech: desenvolvendo ferramentas e recursos digitais para ativistas e sobreviventes de violência doméstica durante a pandemia.
  • University of Michigan School of Information: avaliando os impactos da equidade na saúde à rápida virtualização do atendimento primário..
  • Indian Institute of Technology Gandhinagar: modelagem do impacto da poluição do ar nas exacerbações de saúde secundárias relacionadas à COVID.
  • Cornell University, EURECOM: desenvolvendo métodos escaláveis ​​e claros ​​para verificar argumentos e identificar informações incorretas sobre a COVID-19.

Retardando a transmissão avançando a ciência de rastreamento de contato e detecção ambiental

  • Arizona State University: aplicação de análise federada (uma técnica analítica de última geração que preserva a privacidade) ao rastreamento de contato, incluindo um projeto piloto no campus.
  • Stanford University: aplicando agregação segura e esparsa para detectar pontos de acesso emergentes.
  • University of Virginia, Princeton University, University of Maryland: projetando e analisando métodos eficazes de rastreamento de contato digital.
  • University of Washington: investigando métodos de detecção e filtragem de SARS-CoV-2 ambientais em linhas de ônibus e outros espaços públicos.
  • Indian Institute of Science, Bengaluru: mitigando a disseminação de COVID-19 nos sistemas de trânsito da Índia com testes rápidos e padrões modificados de transporte regional.
  • TU Berlin, University of Luxembourg: usando mecânica quântica e aprendizado de máquina para entender a ligação da proteína de espícula do SARS-CoV-2 às células humanas – um processo chave na infecção por COVID-19.

Apoiando profissionais de saúde

  • Medic Mobile, Dimagi: desenvolvendo ferramentas de análise de dados para apoiar profissionais de saúde na linha de frente em países como Índia e Quênia.
  • Global Strategies: desenvolvimento de software para apoiar profissionais de saúde que adotam os protocolos da COVID-19 em populações rurais mal atendidas nos EUA, incluindo reservas indígenas americanas.
  • C Minds: sistema de apoio open-source, baseado em IA, para ensaios clínicos relacionados ao tratamento da COVID-19.
  • Hospital Israelita Albert Einstein: apoiando e integrando profissionais de saúde comunitária e voluntários para ajudar a prestar serviços de saúde mental e monitorar os resultados em uma das comunidades mais vulneráveis ​​do Brasil
  • Fiocruz Bahia, Universidade Federal da Bahia: estabelecendo uma plataforma de IA para pesquisa e compartilhamento de informações relacionadas à COVID-19 no Brasil.
  • RAD-AID: criação e gerenciamento de um “data lake” para instituições em países de baixa e média renda, organizando dados anônimos e de acesso a ferramentas de IA.
  • Yonsei University College of Medicine: dimensionando e distribuindo sistemas de apoio a decisões para pacientes e médicos para melhor prever a hospitalização e as necessidades de cuidados intensivos devido à COVID-19.
  • University of California Berkeley and Gladstone Institutes: desenvolvendo testes rápidos de diagnóstico da COVID-19 baseados em CRISPR usando tecnologia de telefone celular.
  • Fondazione Istituto Italiano di Tecnologia: possibilitando o acesso de código aberto à radiografia de tórax anônima e dados clínicos, e pesquisando análise de imagens para diagnóstico precoce e prognóstico da COVID-19.

* Beneficiário de uma bolsa do Google.org Fellowship

Publicado por Mollie Javerbaum, gerente de programa para o Google.org e Meghan Houghton, gerente do programa de relações universitárias para pesquisa.

View full post on Blog do Google Brasil