Novidades sobre o trabalho do google para melhorar a privacidade dos usuários na publicidade digital

A privacidade está no centro de tudo o que o Google faz assim como também é fundamental dentro da nossa visão de uma internet vibrante onde as pessoas, ao redor do mundo, possam acessar conteúdo que é viabilizado com a veiculação de anúncios se sentindo tranquilas que seus dados estão sendo protegidos. Para chegar nesse lugar, precisamos aumentar a transparência de como a publicidade digital funciona, oferecer controles robustos aos usuários e garantir que as escolhas das pessoas de como são usados seus dados estão sendo respeitadas – não ignoradas ou burladas. 

Hoje, estamos compartilhando algumas novidades nesta área, incluindo novos recursos de transparência que darão aos usuários mais informações de porquê estão vendo certos anúncios. Também estamos incorporando novos recursos para guiar a anunciantes e publisher a navegar os desafios atuais em torno da privacidade, além de exemplos reais de marcas e publishers que estão criando boas experiências para seus usuários com um olhar responsável e cuidadoso sobre privacidade e uso de dados. 
Mais transparência e controle
Há anos o Google oferece um recurso chamado “Por que estou vendo este anúncio?”. Os anúncios online têm esse ícone, e ao clicar nele o usuário vê informações sobre os critérios usados para exibir o anúncio – e pode optar por não ver mais aquele anúncio. Todos os dias, as pessoas clicam mais de 15 milhões de vezes na caixa “Por que estou vendo este anúncio?”. Isso mostra o interesse em saber mais e controlar os anúncios que cada um vê. Recentemente o Google passou a oferecer esse recurso também em televisões conectadas. 
Ao longo dos próximos meses, essa experiência vai ficar ainda melhor: vamos lançar um novo recurso chamado “Sobre este anúncio?”, que vai mostrar o nome confirmado do anunciante por trás de cada peça publicitária exibida na tela. “Sobre este anúncio” vai estar disponível primeiro para publicidade comprada no Google Ads e no Display & Video 360. Ao longo do ano de 2021, ele será ampliado para outras plataformas de publicidade digital.

Mas nosso compromisso de aumentar a transparência e o controle do usuário vai além dos anúncios que mostramos. Diante da complexidade do universo da publicidade digital e do grande número de organizações envolvidas nesse trabalho, muita gente com frequência não entende muito bem quais empresas estão envolvidas na exibição de uma peça publicitária. Por isso estamos lançando uma nova ferramenta chamada “Ads Transparency Spotlight”, com informações detalhadas sobre todos os anúncios que o usuário vê na internet. No momento esse recurso está disponível na Chrome Web Store, como uma extensão alfa. Vamos usar as opiniões e sugestões dos usuários para continuar melhorando essa extensão. Com o tempo, queremos oferecer ainda mais informações sobre o funcionamento dos anúncios – e mais controles para o usuário. Esperamos também que outros fornecedores de soluções tecnológicas aumentem a transparência e o controle em seus produtos. 

A evolução da internet apoiada por publicidade
O Chrome está sempre trabalhando para proteger a privacidade e, ao mesmo tempo, permitir que o navegador apoie anúncios digitais. A iniciativa aberta Privacy Sandbox é fundamental para que isso seja possível. O Privacy Sandbox já permite a publicação de diversas propostas de novas APIs, criadas para resolver questões práticas como seleção de anúncios, medição de taxa de conversão e proteção contra publicidade fraudulenta – tudo sem jamais identificar informações sobre usuários individuais. Uma das API propostas sugere criar “chaves de confiança” capazes de combater anúncios fraudulentos, graças à diferenciação entre robôs (ou “bots”, no jargão da internet) e usuários reais. Essa API já está disponível para ser testada pelos desenvolvedores, e em breve outras serão acrescentadas à lista.
À medida que essas estratégias comecem a atender às necessidades de usuários, editores e anunciantes, o Chrome pretende encerrar gradualmente o suporte a cookies de terceiros. O W3C tem sido um fórum importante para discutir essas propostas, e a equipe de anúncios do Google contribui de forma ativa para o debate. Incentivamos todos os interessados a participar também, e esperamos adotar as novas soluções em nossos produtos ao longo dos próximos anos.
Estamos explorando uma série de estratégias para melhorar ainda mais a privacidade do usuário, sem prejudicar o trabalho dos editores que precisam de receita para financiar conteúdo de qualidade – ou dos anunciantes que desejam encontrar consumidores interessados em seus produtos. Um exemplo: apoiamos o uso de dados diretos de anunciantes e editores (ou seja, baseados nas interações sem intermediários entre eles e seus clientes). Esses dados permitem oferecer experiências mais relevantes e úteis – desde que os usuários sejam informados sobre isso e tenham controle sobre o uso de seus dados. Por outro lado, o uso de técnicas ocultas ou incompreensíveis, que transferem dados de usuários individuais e permitem que eles sejam rastreados sem saber, é inaceitável. O chamado fingerprinting é um bom exemplo disso. O Google acredita que qualquer tentativa de rastrear pessoas ou obter informações capazes de identificar usuários individuais sem seu conhecimento ou autorização deve ser proibida, e continuaremos agindo com firmeza contra esse tipo de prática.
Os recentes debates sobre formas de melhorar a privacidade online têm sido centrados na internet, mas as pessoas estão em contato com anúncios digitais em outros ambientes. A técnica e os detalhes da implantação variam de acordo com as características específicas de cada situação, mas a proposta do Google de proteger cada vez mais a privacidade dos usuários sem comprometer o acesso a conteúdo gratuito é a mesma para internet, aplicativos móveis, televisões conectadas e plataformas de áudio – e até para áreas que possam surgir no futuro.
Orientação para anunciantes e editores
O futuro da publicidade digital promete trazer novas tecnologias, novos padrões, estratégias melhores e mais sustentáveis. Entretanto, ainda vamos percorrer uma longa estrada até chegar lá. Sabemos que o setor se vê diante de muitas incertezas nesse período de transição. É claro que há mudanças no horizonte, mas acreditamos que profissionais de marketing e publicidade não podem esperar essas mudanças chegarem para começar a agir. 
Queremos ajudar o setor a se preparar, e por isso reunimos uma série de recomendações para as áreas de marketing (em inglês) e editores (em inglês) – que já podem ser avaliadas a partir de agora. Essas recomendações incluem boas práticas de interação direta com clientes, gestão de dados, dicas para avaliar a relação com parceiros e fornecedores, exemplos práticos de usos de aprendizado de máquina e nuvem e muito mais. Os guias trazem orientações simples e exemplos reais de empresas que conseguiram encontrar soluções eficientes para agir de forma bem-sucedida e responsável, em meio a todas as mudanças do atual cenário de privacidade. 
Vamos continuar trabalhando para que o setor de anúncios digitais caminhe rumo a um futuro ainda mais voltado à privacidade. Nesse meio tempo, sugerimos que todos incentivem um diálogo aberto sobre o assunto em suas organizações e tomem medidas para se preparar para o futuro que vem por aí.
Postado por Mike Schulman, vice-presidente de Privacidade e Segurança, Ads

View full post on Blog do Google Brasil