Novo mapa mundial de COVID-19 para jornalistas

Todos os dias, repórteres de vários países tentam analisar a pandemia de coronavírus e seus impactos pelo mundo. Em meio a tanta informação, contar com uma representação visual dos dados pode facilitar a compreensão de quem consome as notícias produzidas pela imprensa. Entretanto, até hoje era difícil encontrar um mapa que mostrasse a situação atual em diferentes pontos do planeta, com estatísticas confiáveis.

Isso muda a partir de agora com o lançamento do COVID-19 Global Case Mapper, projeto do Big Local News e do Pitch Interactive da Universidade Stanford que conta com o apoio da Google News Initiative. O novo mapa permite a jornalistas de qualquer país inserir no site de seu veículo representações visuais atualizadas sobre a pandemia.

Imagem de tela do novo mapa global lançado hoje
No início deste ano a equipe já havia divulgado uma versão americana do mapa. A nova edição expande a visualização para todo o mundo, com dados de 176 países além dos Estados Unidos – e também informações estaduais e regionais para 18 nações. O grupo responsável pelo trabalho usou o Google Tradutor, o que significa que o recurso está disponível em mais de 80 línguas.

Os números vêm do banco de dados aberto do New York Times, dividido por condados, e também do Repositório de Dados sobre COVID-19 compilado pelo Centro de Ciência e Engenharia de Sistemas (CSSE, na sigla em inglês) da Universidade Johns Hopkins. As informações são atualizadas diariamente.

A iniciativa faz parte de uma parceria para lançar uma ferramenta global de dados dirigida aos jornalistas que cobrem o novo coronavírus. Com o apoio da Google News Initiative, a Bolsa de Jornalismo JSK da Universidade Stanford e o grupo Big Local News vão agregar dados do mundo todo para ajudar profissionais de imprensa a produzir matérias bem-fundamentadas, que deem destaque a informações locais.

 

 

Ao contrário de outros mapas de COVID-19, o projeto Case Mapper permite a repórteres de veículos locais inserir um mapa de sua região ou país nos artigos. A visualização exibe o número de casos em relação à população. O mapa é colorido de acordo com o número de casos para cada 100.000 habitantes nos últimos 14 dias, e mostra a gravidade do surto de acordo com o tamanho da população de cada lugar. Isso facilita na hora de comparar a situação na cidade ou país do leitor ao resto do planeta.

 

Desde que foi lançado, em abril, o mapa foi inserido em milhares de sites de notícias dos Estados Unidos – entre eles a Type Investigations, organização sem fins lucrativos que apoia o jornalismo investigativo, e o Bay City News, agência de notícias locais para órgãos de imprensa da região da baía de São Francisco, que tem uma central de informações sobre COVID-19.

Ao longo dos próximos meses, o mapa vai receber informações ainda mais detalhadas e locais, graças à evolução no desenvolvimento da ferramenta e a jornalistas de todo o mundo que vão usá-lo para explicar o avanço da pandemia. Por maior que seja o impacto do coronavírus, a doença pode parecer abstrata quando não se tem uma visualização de seu movimento ao redor do planeta. O novo recurso permite a jornalistas de todos os países enxergar os números e compartilhar essa informação com o público.


Postado por Simon Rogers, Data Editor no Google News Lab

View full post on Blog do Google Brasil