Os usuários do Twitter nos EUA e no Japão agora podem ocultar respostas aos seus tweets


O Twitter diz ter visto "resultados positivos e encorajadores" durante seu teste inicial no Canadá.

O que você precisa saber

  • O recurso "ocultar respostas" do Twitter está sendo lançado hoje nos EUA e no Japão.
  • O recurso oferece aos usuários a capacidade de ocultar respostas irrelevantes ou abusivas por natureza.
  • O Twitter diz que o recurso dará aos usuários mais controle sobre suas conversas.

O Twitter introduziu um recurso controverso "Ocultar respostas" em julho deste ano, dando aos usuários de sua plataforma maior controle sobre as conversas iniciadas por eles. Depois de ser testado no Canadá por várias semanas, o recurso finalmente está sendo expandido para os Estados Unidos e Japão.

O recurso, na verdade, não oculta os tweets. Qualquer pessoa que deseje ver as respostas ocultas pode fazê-lo com um clique adicional. Apesar disso, no entanto, o recurso "Ocultar respostas" pode ajudar a garantir que respostas inadequadas não sejam vistas pela grande maioria dos participantes da conversa.

O teste permite que uma pessoa que inicia uma conversa oculte respostas que possam considerar irrelevantes, abusivas ou simplesmente ininteligíveis. Segundo o Twitter, as pessoas no Canadá que usaram o recurso acharam que era uma maneira útil de controlar o que viram.

No entanto, alguns deles estavam preocupados em esconder uma resposta que poderia ser mal compreendida e levar a confusão ou frustração. Para resolver essas preocupações, o Twitter agora entrará em contato com os usuários após ocultar um Tweet para ver se eles querem bloquear a conta dessa pessoa.

O Twitter também descobriu que as pessoas eram mais propensas a reconsiderar suas interações quando seu tweet estava oculto. Uma pesquisa realizada pela empresa descobriu que 27% dos usuários que tiveram seus tweets ocultos estavam dispostos a reconsiderar como eles interagem com outros no futuro.

Como alterar sua senha do Twitter e ativar a autenticação de dois fatores





Source link



Os comentários estão desativados.