Vá ler esta investigação sobre hackers "Cloud Hopper" realizada pelo WSJ


  

A campanha global de hackers conhecida como "Cloud Hopper" perpetrada por hackers chineses patrocinados pelo governo foi muito pior do que o originalmente relatado, de acordo com uma investigação do Wall Street Journal . leia na íntegra.

O relatório diz que "pelo menos uma dúzia de provedores de nuvem" foram afetados, mas se concentra na HP para ilustrar a gravidade das invasões e as táticas usadas para atacar e defender.

"O Journal descobriu que a Hewlett Packard Enterprise Co. estava tão sobrecarregada que a empresa em nuvem não viu os hackers entrarem novamente nas redes de seus clientes, assim como a empresa deu aos clientes tudo isso".

”Dentro das nuvens, os hackers, conhecidos como APT10 por autoridades e pesquisadores ocidentais, tiveram acesso a uma vasta constelação de clientes. A investigação do Journal identificou centenas de empresas que tinham relações com fornecedores de nuvem violados, incluindo Rio Tinto, Philips, American Airlines Group Inc., Deutsche Bank AG, Allianz SE e GlaxoSmithKline PLC. ”

[…]

“Eles vieram através de provedores de serviços em nuvem, onde as empresas pensavam que seus dados estavam armazenados com segurança. Uma vez que eles entrassem, poderiam livremente e anonimamente saltar de cliente para cliente, e desafiariam as tentativas dos investigadores de expulsá-los por anos. ”

Muito disso era conhecido em termos gerais, conforme revelado por uma investigação da Reuters em junho. A investigação mais detalhada WSJ mostra o quão vulnerável nossos dados são quando armazenados por terceiros e como os hackers agressivamente patrocinados pelo estado continuam a persegui-los.



Source link



Os comentários estão desativados.