Wi-Fi pode ser usado para detectar armas e bombas

Sabe aquele sinal wireless que você instala em casa, usa na cafeteria ou rouba do vizinho? De acordo com uma pesquisa feita pela Universidade Rutgers, dos EUA, ele pode ser usado para identificar objetos perigosos, como armas e bombas, escondidos em bolsas e mochilas.

O estudo teve como principal motivador os recentes atentados no país, como o da Maratona de Boston, em 2013, e o tiroteio durante um show em Las Vegas, em 2017. Os pesquisadores desenvolveram um sistema que analisa a interação das ondas de Wi-Fi quando elas atingem materiais como metais e líquidos e registra se o sinal foi refletido, refratado ou absorvido.

Veja também

  • SociedadePor que a Alemanha tem tão pouco Wi-Fi “na rua”?30 jul 2018 – 18h07
  • ComportamentoNão há vida sem wi-fi12 jun 2017 – 19h06

Durante os testes, os cientistas usaram quinze tipos de objetos perigosos e seis modelos de bolsa. O índice de acerto durante a detecção foi de 99% para explosivos, 98% para produtos metálicos e 95% para líquidos. Quando os objetos eram enrolados em tecidos, para disfarçar, a taxa de detecção continuava alta: 90%. Para fazer o sistema funcionar, é simples: basta um aparelho de rede sem fio com duas ou três antenas, que pode, inclusive, ser integrado a redes já existentes.

O fato de ser um método com baixo custo pode aumentar a segurança em locais públicos de grande circulação, como praças, escolas, estádios e shows de música. Pela descoberta, a pesquisa foi premiada em uma conferência sobre segurança de redes e comunicações do Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (IEEE), que é o órgão responsável por regulamentar os padrões do Wi-Fi. O próximo passo, segundo os autores do estudo, é aprimorar o sistema para extrair mais informações, como o formato e o volume dos objetos.



Deixe uma resposta

Powered by Yahoo! Answers