Criadores de cheats de Destiny 2 chegam a um acordo de US$ 13,5 milhões com a Bungie

Em uma conclusão bastante espetacular para uma ação movida pela Bungie em agosto do ano passado, os proprietários do Destino 2 domínios de trapaça, Veterancheats, LaviCheats e Elite Boss Tech, terão que pagar um acordo totalizando aproximadamente US $ 13,5 milhões em danos. A matemática desse acordo vem de uma multa de US$ 2.000 por violação das disposições anti-evasão do Digital Millennium Copyright Act – 17 US Code Section 1201 aeb – multiplicado pelos aproximadamente 6.765 downloads exclusivos do programa em questão.

De acordo com um relatório de Andy Maxwell em TorrentFreaka Bungie acusou os réus de violar a lei de direitos autorais, além de extorsão, fraude, lavagem de dinheiro e violações do Computer Fraud and Abuse Act.

Trapaça em jogos como Destino 2 fez com que os desenvolvedores empregassem métodos cada vez mais rigorosos para combater a prevalência desses programas. Essas contramedidas podem ser muito difíceis e caras de empregar, especialmente no caso de jogos de serviço ao vivo como Destino 2 que têm um ecossistema que está mudando regularmente.

A Bungie afirmou em documentos judiciais anteriores que, além de comprometer a experiência de jogo do Destino 2a disponibilidade desses truques significa que sua “vigília anti-trapaça nunca pode cessar”, enquanto instituir contramedidas é “exorbitantemente caro”.

O caso inicialmente parecia estar indo para julgamento, mas agora, um consenso foi alcançado com os réus, Robert James Duthie Nelson, Elite Boss Tech e 11020781 Canada. Este acordo faz com que os réus aceitem a responsabilidade pela criação e distribuição desses truques, que a violação foi intencional e que seu software foi projetado para contornar as medidas tecnológicas empregadas pela Bungie para controlar o acesso ao seu software.

Este acordo se alinha com outros processos semelhantes movidos pela Bungie no ano passado em cooperação com a Ubisoft e outro com a Riot Games que visavam fabricantes de trapaças que produziam programas ilícitos para Tom Clancy’s Rainbow Six Siege e Valorant além de Destino 2. O caso da Riot Games rendeu US$ 2 milhões em danos aos desenvolvedores, enquanto o caso conjunto com a Ubisoft ainda está pendente de litígio.

Casos como esses se tornaram cada vez mais comuns e não são sem precedentes. Em janeiro, a Activision processou Chamada à ação A fabricante de fraudes EngineOwning, citando acusações semelhantes, está atualmente buscando danos na casa das centenas de milhões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.