Robô cirúrgico miniaturizado da Virtual Incision a caminho da Estação Espacial Internacional – Notícias sobre Robótica e Automação

A Virtual Incision, desenvolvedora do Sistema Cirúrgico MIRA, afirma que o spaceMIRA está atualmente em trânsito para a Estação Espacial Internacional.

O dispositivo está a bordo de uma espaçonave de carga Northrop Grumman Cygnus transportada por um foguete SpaceX Falcon 9.

A missão de demonstração de tecnologia de 2024 é impulsionada por uma doação concedida pela Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) à Universidade de Nebraska por meio do programa Estabelecido para Pesquisa Competitiva (EPSCoR).

Os testes com o spaceMIRA na Estação Espacial Internacional avaliarão o impacto da gravidade zero ao realizar tarefas cirúrgicas simuladas.

Durante uma parte do experimento, um cirurgião operador na sede da Virtual Incision em Lincoln, Nebraska, utilizará tecnologia de controle remoto para direcionar os movimentos do robô.

Os aprendizados sobre cirurgia remota podem impactar potencialmente os cuidados de saúde no espaço e em todo o mundo. Só nos EUA, um terço dos condados não tem actualmente acesso a um cirurgião local, e a escassez de cirurgiões poderá aumentar para mais de 30.000 nos próximos dez anos.

A cirurgia remota pode servir como uma opção para esses pacientes, permitindo que os procedimentos sejam realizados a partir de um local distante.

O dispositivo ideal para essas aplicações seria controlado por um cirurgião por meio de um console, permitindo direcionar os movimentos de uma câmera e instrumentos para dentro do corpo do paciente.

Esse tipo de tecnologia, chamada cirurgia assistida por robótica (RAS), está disponível há décadas. Embora algum trabalho exploratório em cirurgia remota tenha sido realizado, ele ainda é normalmente realizado com o cirurgião na mesma sala de cirurgia que o paciente.

Embora existam muitas complexidades associadas às operações remotas, a miniaturização do RAS pode ser um avanço ao simplificar drasticamente os fluxos de trabalho no local onde o paciente está localizado.

MIRA, o primeiro dispositivo miniaturizado de cirurgia assistida por robótica (miniRAS) em desenvolvimento, é cerca de 1.000 vezes mais leve que as tecnologias existentes.

Sendo o único dispositivo RAS de formato pequeno, ele tem o potencial de tornar a cirurgia remota mais viável, permitindo transporte, armazenamento e tempo de configuração em uma escala sem precedentes.

Os pesquisadores da Universidade de Nebraska aproveitaram o design exclusivo do MIRA para criar uma iteração que permite modos de operação de cirurgia remota pré-programada e de longa distância.

“Quando iniciamos este trabalho na Universidade de Nebraska, compartilhamos uma visão coletiva de que o miniRAS poderia disponibilizar a cirurgia assistida por robótica para qualquer paciente, a qualquer hora, em qualquer lugar”, diz Shane Farritor, PhD, cofundador e diretor de tecnologia da Virtual Incision e professor de engenharia mecânica na Universidade de Nebraska.

“Explorar o uso do miniRAS em ambientes extremos ajuda nossas equipes a entender como podemos remover barreiras para os pacientes.”

John Murphy, presidente e CEO da Virtual Incision, afirma: “Por mais emocionante que seja ter a nossa tecnologia no espaço, esperamos que o impacto desta investigação seja mais notável na Terra.

“A introdução do miniRAS tem o potencial de revolucionar a saúde, tornando todos os robôs da sala de cirurgia prontos. Estamos dando um passo significativo ao desenvolver o MIRA, um dispositivo experimental atualmente sob revisão pela FDA.

“Os testes com o spaceMIRA nos dirão mais sobre o potencial futuro do miniRAS, pois ele poderá ser aplicado em aplicações de cirurgia remota.”

Versão para impressão, PDF e e-mail

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *